Buscar

Buchette del vino

Os italianos revivem tradição do século 17 vendendo vinho pelo “buchette” na parede.


O novo coronavírus tem obrigado os italianos a fazer algumas adaptações, mas algumas são mais curiosas do que outras. Na Itália, por exemplo, a Wine Window Association recuperou uma solução usada na Europa durante a época da peste negra. Falamos das janelas de vinho ou buchette del vino. Algumas cidades italianas, estão revivendo uma tradição que remonta ao século 17, quando o país passava pela Peste e o vinho era vendido através de uma pequena janela na parede das casas, a “buchette de vino” ou “buchetta de vino”, entre outros nomes que você pode conferir mais abaixo.





Esquecidas por turistas e até por alguns moradores, o recurso tem sido utilizado por restaurantes, bares e cafés que além de vinho e outras bebidas, servem também guloseimas pelas janelinhas. Só na região da Toscana, segundo a organização cultural Buchette del Vino, são cerca de 150 “buchette de vino”, 100 só na cidade de Florença. Também acreditam haver as janelas na região de Piemonte.


São pequenas janelas, esculpidas nas paredes, pelas quais os comerciantes servem vinho ou outra bebida, sempre com distanciamento social garantido.


Antigamente, os italianos ricos que possuíam vinhedos vendiam seus vinhos diretamente aos clientes através destas pequenas janelas nas paredes e na década de 1630, elas foram muito bem utilizadas por causa da Peste Negra . Era uma forma de vender vinho socialmente distanciado e, com sorte, não pegar a praga literal.





Além de buchette ou buchetta del vino, a pequena janela recebe outros nomes como Tabernacoli, Mostre, Nicchie, Finestruole, Buche, Porticelle, Finestrini, Porticine, Sportellini, Porte del Paradiso, Porticciole, Finestrine, entre outros.





Existem centenas dessas adoráveis ​​vitrines na cidade de Florença e em toda a região da Toscana.


E há uma associação cultural chamada Buchette Del Vino que mapeia todas elas e, em geral, tem todas as informações que você gostaria de saber sobre as vitrines.


Mas a outra grande notícia que vem junto com a volta das janelas de vinho, é que agora elas oferecem também sorvetes, café e tem até uma janela para Aperol Spritz. Delícia.


As pessoas podem bater nas pequenas persianas de madeira e encher as suas garrafas diretamente das famílias Antinori, Frescobaldi e Ricasoli, que ainda hoje produzem alguns dos vinhos mais conhecidos de Itália”, diz Matteo Faglia, presidente da Wine Window Association.


“Queremos colocar uma placa em todas as janelas de vinho, pois as pessoas tendem a respeitá-las mais quando entendem o que são e a sua história”, complementou, reforçando o seu valor histórico.


Quem é atento e gosta de observar a arquitetura das cidades já deve ter notado em Florença uma espécie de janelinha bem perto das entradas dos prédios, a buchetta del vino. São os pequenos buracos do vinho, aberturas que foram feitas nas fachadas de casas e palácios que remonta aos anos 1500. Através dessas janelinhas eram passados frascos e copos de vinho, vendidos diretamente do produtor ao consumidor. Essa antiga tradição foi uma iniciativa dos produtores de vinho que eram proprietários de vinhedos na Toscana para vender seus produtos em Florença, onde viviam. Dessa forma eles tinham maior lucratividade, pois saltavam os intermediários e se livraram de impostos. Atualmente voltaram a ser utilizadas e não apenas para a venda de vinho e drinks, mas também de sorvete!





Esses buracos do vinho começaram a ser utilizados a partir do século 16. Mas afinal, como funcionavam? Na parte interior das habitações havia uma sala com os barris de vinho e o empregado da família, pronto a servir. As vendas eram realizadas num determinado período do ano e em horários estabelecidos. Mas no final do século 19 começaram a cair em desuso e começaram a ser abandonados, alguns tendo sido até destruídos ou reutilizados para outra finalidade. Outros foram até cimentados e desapareceram depois das reformas dos prédios e encontram-se escondidos nos halls de entrada ou dentro de lojas e restaurantes.


Em 1630 uma terrível peste atingiu a Itália e Florença adotou as primeiras medidas de higiene para proteger a saúde dos cidadãos. Por ser altamente contagioso, qualquer contato direto deveria ser evitado. Aí entraram em jogo os providenciais janelinhas do vinho. Para evitar o contato, as portinhas eram utilizadas para a venda do vinho e também ajudar os mais necessitados.







Geralmente em forma de arco, as janelinhas se abrem nas fachadas principais ou laterais dos palácios. A origem é incerta, mas provavelmente são de época renascentista. Em Florença existem cerca de 180 e algumas voltaram a ser utilizadas. Além de buchette, outros nomes são utilizados: tabernacoli, finestrini, mostre, nicchie, porticelle, porticine, sportellini, porte del paradiso, porticciole. Dessas janelinhas com uma porta de madeira, os descendentes das famílias florentinas mais antigas venderam por séculos os produtos de suas empresas agrícolas. O tamanho convencional da janelinha, que pode variar, é de 23 x 36 cm, tamanho ideal para conseguir passar o frasco



Depois de séculos sem serem utilizadas, uma das antigas tradições de Florença ressurge ajudando a resgatar parte da história da cidade. O Babae, bistrô localizado na via Santo Spirito, reabriu uma “buchetta del vino” e a ideia está dando o que falar! Conversei com os sócios da casa sobre essa ideia, que na verdade surgiu muito por acaso, quando viram que no local havia uma dessas famosas janelinhas. E a proposta tem agradado turistas e locais, entusiasmados com a possibilidade de adquirir uma taça de vinho através da buchetta del vino.



Existe inclusive uma Associação Cultural BDV Buchette del Vino, instituída em 2015 , com a intenção de divulgar, reforçar e salvaguardar esse patrimônio único chamado buchetta del vino.





Em Florença, as janelinhas de vinho totalizam quase 180, sendo que 149 estão concentradas no centro histórico. Vou deixar aqui algumas ruas onde vocês poderão encontrá-las. No Oltrarno muitas estão concentradas nas vias Santo Spirito, Sant’Agostino, via dei Serragli e San Niccolò. E entre a piazza del Duomo e a piazza Santa Croce, nas ruas Borgo Pinti, borgo degli Albizi, Ghibellina e Oriuolo. Além de toda a beleza artística e riqueza arquitetônica que encontramos em Florença, as janelinhas de vinho são mais um motivo pra você prestar atenção aos detalhes dessa preciosa e interessante cidade.






  • Pinterest
  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • YouTube ícone social
Copyright™® 2021

         Doação para manutenção do Blog